Como preparar a sua loja para o Natal?

O Natal está chegando e com ele novos desafios... Do lado do varejo, a cada dia maior competitividade. Novas lojas, formatos, multicanais e canais multifuncionais.

Do lado do cliente, maior conectividade, exigência, maior mixidade, (frequenta diferentes canais para suprir suas necessidades) - e, como enfrenta um momento de grande incerteza - inflação, desemprego, aumento dos juros, endividamento, inadimplência e um bolso mais apertado, está mais seletivo e vem racionalizando suas compras, ou seja, buscam alternativas - de canais, produtos, marcas, embalagens -, para não abrir mão de suas conquistas.

As apostas são de um cenário mais desafiador para o final de ano um Natal mais “magro”.

O que exige um esforço adicional para atrair, converter e inspirar o cliente a comprar.

Planejamento bem detalhado e minucioso, execução extremamente eficiente considerando: sortimento, a loja em si (ambiente), os serviços, a equipe, as ações de marketing, merchandising e promoções, criatividade e eficiência são palavras de ordem!

O primeiro passo é planejar com antecedência e precisão as compras (para não ter sobras ou rupturas), prevendo o aumento da demanda dos itens padrões e, sobretudo, dos produtos específicos da época. Avaliar as tendências e os lançamentos para não deixar de fora as novidades.

Uma forma para garantir maior efetividade na previsão da demanda é avaliar indicadores internos e de externo de anos anteriores e fazer as previsões levando em conta a conjuntura atual. Não esqueça que estamos em um momento de desaceleração do consumo, com redução na frequência de compra.

Garanta que o cliente encontre, de fato, o produto. Produto certo, disponível (sem ruptura).

Como não são produtos comprados regularmente, o segundo passo é chamar a atenção do cliente e inspirá-los a desejar, querer e comprar. Por isso atenção à ambientação e à todas as ações a serem desenvolvidas de marketing e merchandising no ponto de venda, incluindo as promoções e ofertas.

É muito positivo e essencial ambientar a loja, ou seja, “vestir” a loja com o tema da época. A ambientação traz um gera uma experiência positiva no Shopper.

Qual a ação mais adequada? Qual o tipo de promoção e comunicação que inspire o Shopper a comprar? Quanto maior foi o seu conhecimento sobre o seu Shopper e as motivações e decisões dos mesmos, mais efetivas as suas ações. Não esqueça de avaliar custos e mensurar os resultados.

Como nesta época o fluxo aumenta substancialmente, avaliar se sua loja está preparada para receber o fluxo adicional. Considerar a necessidade de alterar layout, ampliar o número de equipamentos, dos expositores, alterar a dinâmica de reposição, ou ainda, contratar mais pessoas.

A propósito, a mão de obra temporária, é sem dúvida, um dos grandes desafios para o varejo. A recomendação é planejar e contratar com certa antecedência, para ter tempo hábil de integrá-lo na operação e treinar adequadamente.

Cada vez mais, agilidade, qualidade no atendimento, funcionários capacitados, bem treinados, cordiais e disponíveis são essenciais.

Para se diferenciar, tente oferecer alguns produtos diferenciados, exclusivos, personalizáveis. Crie listas com sugestões de presentes mais acessíveis, invista em pontos extras com algumas alternativas de produtos presenteáveis e soluções para uma ceia mais econômica, dê alternativas aos seus Shoppers, os inspire fornecendo sugestões e dicas de pratos, combinações.

Além disso, os shoppers querem cada vez mais informação e conteúdo rico para ter a certeza da melhor compra. Portanto, sinalize adequadamente a loja e os produtos.

Fatima Merlin é diretora da Connect Shopper, consultora de varejo e shopper marketing, especialista em gerenciamento por categoria, palestrante e autora do livro “Meu cliente não voltou, e agora? com a participação especial e a recomendação do Prof. Dr. PhD Brian Harris, criador do Gerenciamento por Categoria e Shopper Marketing.

Share

Calendário

sitemap