Serviços

Apresentado balanço nacional sobre rastreabilidade

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) apresentou na manhã desta segunda-feira ( 22.02) em São Paulo o 1º balanço do Programa de Rastreabilidade e Monitoramento de Alimentos (RAMA), em evento especial que debateu os avanços do controle do uso de agrotóxicos no País. A Associação Catarinense de Supermercados (Acats) participou deste evento.

O programa, lançado em 2011, atualmente monitora e rastreia no Brasil uma média de 15 milhões de quilos de frutas, legumes e verduras (FLV) por mês. Até hoje, de acordo com o balanço apresentado no evento, cerca de um milhão de toneladas de alimentos foram rastreadas, colaborando para a redução do consumo de defensivos agrícolas (agrotóxicos) pela população brasileira e apoiando a comercialização e o consumo seguro de alimentos, por meio do incentivo à adoção das boas práticas agrícolas.

“O RAMA é um dos principais programas da ABRAS e tem toda a nossa prioridade porque é de suma importância para a saúde dos nossos consumidores. O programa é reconhecido nacionalmente, tanto é que temos como parceiros a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA)”, afirma o presidente da ABRAS, Fernando Yamada. 

Para o vice-presidente da ABRAS, responsável pela gestão do Programa RAMA, Márcio Milan, o balanço atual das realizações do RAMA até agora é muito positivo. “Já fizemos um importante trabalho de implantação e disseminação de conceito e, com isso, hoje o programa está disponível para todo o País. Nosso objetivo agora é aumentar, de maneira sustentável, o número de participantes do RAMA e, por consequência, ampliar a cobertura do monitoramento do FLV comercializado no Brasil pelos nossos associados”, afirma.

Na opinião de Giampaolo Buso, diretor da PariPassu, empresa parceira da ABRAS e coordenadora técnica do programa, hoje o RAMA entra em uma nova fase, em que as empresas (supermercados e produtores) precisam atentar ainda mais sobre sua responsabilidade no consumo seguro.  “Nosso objetivo é contribuir para a redução do uso de agrotóxicos em hortifrútis e, para isso, precisamos da participação de todos os membros da cadeia de alimentos envolvidos. Hoje, mais de 70% das vendas de hortifrútis são realizadas nos supermercados, portanto, quanto mais evoluirmos na adesão de supermercadistas, fornecedores e produtores, maior será a rede de abrangência e mais rápidos serão os resultados obtidos para toda a sociedade”, afirma.

Números

O RAMA já conta com 34 redes supermercadistas participantes (que representam mais de 20% das vendas total de FLV comercializado pelo setor no Brasil), e está programado para abranger todos os estados brasileiros por meio da sinergia de ações com as 27 Associações Estaduais de Supermercados. São números muito significativos:

  • Cerca de 1 milhão de toneladas de alimentos rastreadas
  • 34 empresas (redes) varejistas participantes
  • Que faturaram cerca de R$ 67 bilhões em 2014
  • Presentes em 16 Unidades Federativas
  • Mais de 12,8 mil check-outs com participação efetiva no Programa
  • Média de 15 milhões de quilos rastreados no Brasil por mês
  • 3 Associações Estaduais Atuantes (ACATS, ASES e ASSURN) e mais 7 em processo de adesão (APAS, ASSERJ, ACESU, ASMAT, ASPAS, ASBRA e AMAS)
  • Total de 1.457 amostras realizadas de 2011 a 2015, utilizando o conceito de Cobertura Coletiva com compartilhamento de dados
  • Total de 290 produtos rastreados com informação do campo até o ponto de venda, por meio do código de rastreabilidade
  • 81 produtos monitorados (do total de 290 produtos rastreados, constantemente, sendo que o Programa PARA, da Anvisa, estabelece 25 itens para análise)

 

 

Share

Calendário

sitemap